AROMATERAPIA: O PODER DAS PLANTAS E DOS ÓLEOS ESSENCIAIS

Especial Cuidado integral na Covid-19
Número 2 – Aromaterapia
Aromaterapia para o autocuidado em
tempos de coronavírus
Alexsandra Nascimento
Professora da Faculdade de Enfermagem Nossa
Senhora das Graças da Universidade de Pernambuco.
As plantas aromáticas na pandemia de
Covid-19: um olhar nos preparos ancestrais
Ana Carla Koetz Prade
Farmacêutica e fitoterapeuta clínica. Coordenadora
do Programa Farmácia Viva e do Centro de Práticas
Integrativas e Complementares de São Bento do Sul
(SC).
ObservaPICS
Observatório Nacional de Saberes e Práticas
Tradicionais, Integrativas e Complementares
em Saúde
Coordenação geral: Islândia Carvalho
Roteiro e revisão do conteúdo: Gisléa Ferreira
Revisão final: Fabíola Tavares e Veronica Almeida
Diagramação: Bruno Leite
Imagens: Freepik, Pixabay e Unsplash
FICHA TÉCNICA
Recife
Fiocruz PE
2020

AROMATERAPIA PARA O
AUTOCUIDADO EM TEMPOS
DE CORONAVÍRUS
Alexsandra Nascimento
ObservaPICS | 5
observapics.fiocruz.br/covid-19/
Cuidado integral na Covid-19
A aromaterapia diante da Covid-19
A aromaterapia pode ser oferecida
como suporte terapêutico aos profissionais de
saúde que cuidam de pessoas com Covid-19
e à comunidade em geral, acometida ou não
pela doença, em quarentena domiciliar ou só
em isolamento social. Difusores aromáticos
ambientais nos postos de enfermagem ou no
repouso podem ser utilizados para garantir um
clima de tranquilidade, equilíbrio emocional,
além do fortalecimento de alguns sistemas,
como o respiratório e o imunológico. Utilizados nas residências, esses difusores podem
ainda proporcionar um ambiente mais agradável, apresentando-se como uma prática
simples de ser realizada. Por exemplo, óleo
de laranja doce, eucalipto glóbulos e o tea
tree podem ser utilizados como estratégia de
fortalecimento para os profissionais da saúde
ou em casa como contribuição para o corpo e
para a saúde mental.
Todavia, vale salientar que no momento
não há estudos comprovando a eficácia dos
óleos essenciais contra a Covid-19. As recomendações apresentadas estão fundamentadas em estudos prévios, frente a outras condições de saúde e epidemias. Nesse sentido,
pesquisadores em todo o mundo, vinculados
às mais diversas racionalidades, estão se debruçando para descobrir terapêuticas eficazes.
A grande potencialidade desse cuidado é o
fortalecimento humano e nisso todos estão de
acordo que, quanto mais equilibrados em sua
integralidade, corpo e mente, melhor será a resiliência do indivíduo diante da crise que vivemos neste momento. No entanto, os estudos
preliminares trazem contribuições importantes
para o enfrentamento do contexto atual.
Da antiguidade ao contemporâneo
O uso de ervas aromáticas em rituais
e com finalidades terapêuticas é conhecido
desde a antiguidade. Florence Nigthingale
aplicou o óleo essencial de lavanda na testa
dos soldados para acalmá-los na guerra da
Crimeia, em 1853 (GNATTA, 2016). A aromaterapia ganhou status de ciência em 1910,
com o trabalho realizado pelo perfumista e
engenheiro químico René Maurice Gattefossé (1881-1950), considerado o pai da aro-
ObservaPICS | 6
observapics.fiocruz.br/covid-19/
Cuidado integral na Covid-19
materapia. Ele pesquisou as propriedades
terapêuticas dos óleos essenciais. Ao tratar
uma queimadura, adquirida num acidente de trabalho no laboratório de perfumaria familiar, acabou experimentando a ação
antisséptica do óleo essencial de lavanda.
Posteriormente, em 1918, criou o antisséptico “Le salvol”, usado em ambiente hospitalar com eficiência excepcional durante a
gripe espanhola.
Destaca-se também o trabalho do
médico Jean Valnet (1920-1995), que obteve resultados bastante promissores ao tratar
soldados feridos na Segunda Guerra Mundial
com os óleos essenciais (TISSERRAND, 2017;
LAVABRE, 2018). Na Inglaterra, Marguerite
Maury desenvolveu a aromaterapia holística
com base nas teorias de enfermagem (GNATTA, 2016). Ela pesquisou sobre as influências
dos óleos essenciais no sistema límbico, desenvolveu a ideia da prescrição individual e
abriu a primeira clínica de aromaterapia em
Londres (GNATTA, 2016; BUCKLE, 2019).
A aromaterapia é uma prática terapêutica que utiliza as propriedades dos óleos essenciais para recuperar o equilíbrio e a
harmonia do organismo, visando à promoção
da saúde física e mental (LAVABRE, 2018).
Dessa prática destacamos a aromacologia,
ciência que estuda a influência dos aromas
sobre o bem-estar físico, mental e emocional,
e a aromatologia, dedicada aos efeitos e às
características físico-químicas e botânicas
dos óleos essenciais com interesse no uso
terapêutico (BRASIL, 2018a).
Inserida no Sistema Único de Saúde
(SUS) por meio da Portaria Nº 702, de 21 de
março de 2018, a aromaterapia compõe o rol
de 29 modalidades terapêuticas institucionalizadas com a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares – PNPIC
(BRASIL, 2018 b). A inclusão das PICS no
SUS, como política, posicionou o Brasil na
vanguarda mundial da inserção das Medicinas Tradicionais, Complementares e Integrativas (MTCI) no sistema nacional de saúde
(BRASIL, 2018b).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
    0
    Seu carrinho
    Carrinho Vazio